“El Último Taxi”: doc en Matanzas!

Aí abaixo mostro um trabalho que fiz em 2008, durante minha vida na EICTV. Realizado durante um exercício de documentários na cidade de Matanzas (Cuba). Essa foi minha primeira experiência  como desenhador de som, já neste trabalho fiz o som direto, editei, sonorizei a animação, gravei os ruidos de sala e mixei. A doidera maior é que tudo isso foi realizado em apenas 4 dias! Muito obrigado a Nicolas Tsabertidis, Diego Staub e Denis Godoy pela força na finalização desse trampo.

SOM DIRETO:
Este documentário foi gravado em DAT num DA-P1 Tascam, passando por um mixer FP33 da Shure. Sempre gostei do DA-P1, ele nunca me deixou na mão, apesar de não sentir saudade nenhuma de gravar em fitas. Em relação ao FP33 admito que depois de trabalhar com equipos Sonosax e SoundDevices concluí que este mixer da Shure além de presentear o som com uma “gordurinha” gostosa deixa um ruido de fundo totalmente desnecessário, já utilizei deste mixer em muitos trabalhos, porém hoje a Shure entra em minha 4a ou 5a opção de mixers, há equipos muito melhores a um preço equivalente. Em relação aos mics utilizei em praticamente todo o filme um Sennheiser 416, porém em alguns poucos momentos também utilizei um corpo SE 300 (AKG Blue Line) com uma cápsula hipercardióide (CK93) em alguns momentos ou um lapela com fio (CK77) em outras ocasiões.
Vendo hoje novamente este filme encontro algumas coisinhas que poderia ter feito de outra forma. Um dos momentos que mais me incomodam é quando Eduardo lava as mãos e há um reverb super forte. Me lembro que essa cena foi gravada com o 416 e seguramente se eu tivesse utilizado o AKG Blue Line com a capsula hipercardióide esse reverb seria menor.

EDIÇÃO DE SOM E MIX:
Editado em ProTools7 com monitores Behringer Truth B2030A. Passei 3 dias e meio trabalhando 10 horas por dia pra finalizar esse curta. Interessante dizer nem todos as minhas ideias foram aprovadas quando apresentei o primeiro “corte de som”. Por volta do minuto 6,  onde um Eduardo encontra outro eu tinha feito um desenho de som diferente da versão final. Minha idéia era dar uma sonoridade muito mais cômica nesta sequência, com sons de desenho animado ao estilo “Hanna Barbera”, mas a palavra final do grande diretor e amigo Marcos Machado me fez dar outra intenção ao momento, ainda cômica porém muito mais comedida.
Algumas sequências tomaram mais tempo na edição de som, uma delas é a sequência em que Eduardo dirige pelas ruas de Matanzas. Não há som direto nessa sequência e tudo que se escuta (motores, carro passando, gaivotas, vento) é uma reconstrução de ambientes gravados de outros momentos + bancos de som + efeitos.  Outro sequência que me tomou quase um dia inteiro foi a sonorização da animação. O complicado aí foi a minha indecisão em como construir a clima desse momento, nada que eu fazia me convencia. Inclusive uma das coisas que eu aprendi com o grande mestre Polo Aledo (editor de som de: Lucia y el Sexo, Los Amantes del Círculo Polar, Caótica Ana, Entre Vivir y Sonãr) foi que o que leva tempo não é fazer, mas sim ter a certeza da ideia do que será feito.

Na mixagem fui assessorado pelo grande Diego Staub. Esse curta foi minha primeira experiência como mixador, e digo, mixar numa mesa analógica de 16 pistas sem utilizar nenhuma automação é ao mesmo tempo instigante e super cansativo. Errar é palavra fora do vocabulário. O resultado final não ficou com aquela mix genial, acho que alguns efeitos ficaram muito suaves, porém acho que está tudo no seu lugar e nada incomoda.

Mas e aí, e vcs, o que é que acharam do filme?
Não se acanhem, podem comentar!

Anúncios

Sobre somdiretorecife

Som Direto Recife é um espaço dedicado a informações relacionadas a produção sonora em cinema e vídeo. Quem organizar este espaço é Moabe Filho, técnico de som com formação na EICTV, em Cuba.
Esse post foi publicado em Artigos & Tutoriais e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para “El Último Taxi”: doc en Matanzas!

  1. Lila disse:

    Muito bacana e divertido o filme, o protagonista é uma figura e atuou muito bem, mostrando toda a malemolência cubana dele. Na minha visão (e audição) de leiga, achei o filme bem realizado, bem “redondinho”, simples e instigante… Devia postar outros!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s